Menos produtos fitofarmacêuticos em alimentos

Menos produtos fitofarmacêuticos em alimentos

Níveis constantemente baixos de pesticidas nos alimentos

Os resíduos de pesticidas nos alimentos permaneceram em um nível consistentemente baixo em toda a Alemanha em 2013, de acordo com o resultado do “Relatório nacional de resíduos de pesticidas nos alimentos 2013” ​​pelo Escritório Federal de Proteção ao Consumidor e Segurança Alimentar (BVL). No entanto, os produtos importados mostraram uma carga crítica com muito mais frequência do que os alimentos produzidos na Alemanha.

Apenas 1,1% dos produtos produzidos na Alemanha excederam seus respectivos níveis máximos de resíduos em 2013, de acordo com a BVL. As mercadorias de outros países da UE teriam um nível de contaminação igualmente baixo - em 2013, 0,9% das amostras examinadas haviam excedido o nível máximo de resíduos. "O ônus sobre os bens importados de fora da UE ainda é significativamente maior (6,5%)", relata o Escritório Federal de Proteção ao Consumidor.

Alimentos importados não são piores per se Os resíduos acima dos níveis máximos foram medidos seis a sete vezes mais frequentemente em produtos importados de países terceiros, mas "a maioria dos alimentos de países terceiros não são piores per se", disse o Presidente do BVL, Dr. Helmut Tschiersky. Infelizmente, alguns produtos, como chá preto ou verde, maracujá e ervas frescas, ainda são afetados por 20% ou mais dos níveis máximos de resíduos. Com muitos outros alimentos importados, como peras, batatas, passas, kiwi, melão e todos os alimentos de animais examinados, não ocorreram excedências.

Substâncias ativas individuais particularmente visíveis O Escritório Federal de Defesa do Consumidor relata ainda que não apenas é necessária uma visão diferenciada dos grupos de alimentos e a origem dos produtos, mas também uma diferenciação das diferentes substâncias ativas dos produtos fitofarmacêuticos. Um total de 17.437 amostras de alimentos de origem vegetal e animal, bem como de alimentos para bebês e crianças pequenas, foram examinadas quanto à presença de resíduos de pesticidas em 2013 pelas instalações de exame da vigilância alimentar e veterinária oficial dos estados federais. As exposições a 833 diferentes ingredientes ativos foram analisadas. As reclamações por excederem o nível máximo de resíduos foram levantadas apenas para 91 substâncias ativas (10,9%). Segundo o BVL, quase 90% de todos os ingredientes ativos não eram visíveis.

Alimentos orgânicos significativamente menos contaminados De acordo com o BVL, os produtos mais frequentemente verificados foram "morangos (873 amostras), Mich e produtos lácteos (683), maçãs (620) e batatas (564)". No geral, 36,1% de todas as amostras não mostraram resíduos em quantidades quantificáveis. "Em 61,8% das amostras, os resíduos encontrados estavam abaixo dos níveis máximos de resíduos aplicáveis" e "em 2,1% de todas as amostras, os resíduos excederam o teor máximo aplicável", de acordo com o Escritório Federal de Proteção ao Consumidor. Os alimentos cultivados organicamente tiveram um desempenho particularmente bom, pois mostraram significativamente menos resíduos de pesticidas do que os produtos produzidos convencionalmente. Por exemplo, a “proporção de amostras com resíduos acima dos níveis de resíduos em alimentos orgânicos continuou a diminuir” e “enquanto nos últimos dois anos era de 0,7 e 0,8% das amostras, em 2013 as excedências ocorreram apenas em 0,5% casos ”, relata o BVL. fp)

Informação do autor e fonte



Vídeo: Alimentos que ajudam ou prejudicam o câncer