Estudo de saúde: atendimento inadequado para 300 milhões de idosos

Estudo de saúde: atendimento inadequado para 300 milhões de idosos

Assistência médica precária para 300 milhões de idosos
Uma grande proporção de idosos em todo o mundo é mal atendida clinicamente. Mais de 300 milhões de pessoas com mais de 65 anos não têm acesso a cuidados e cuidados de longo prazo adequados. Isso emerge de um novo estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Alemanha e Japão como exceções positivas
Os cuidados de saúde para a maioria dos maiores de 65 anos são ruins em todo o mundo. Um estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), lançado recentemente em Genebra, diz que mais de 300 milhões de pessoas nessa faixa etária não têm acesso a cuidados prolongados (LTC) adequados. A autora do estudo, Xenia Scheil-Adlung, reclamou, de acordo com um relatório da agência de notícias AFP, que menos de um por cento da produção econômica mundial é gasta nessa área.

A Alemanha e o Japão, em particular, são citados como exceções positivas, mas apenas 5,6% da população mundial nessas duas nações se beneficiam de cuidados e cuidados abrangentes a longo prazo. Por outro lado, esse não é o caso, por exemplo, na África, com mais de 90% das pessoas com mais de 65 anos de idade.

No futuro, também haverá mais problemas aqui
No entanto, deve-se mencionar que os especialistas alertam há muito tempo que, devido ao envelhecimento da sociedade, também existem problemas com o atendimento aos idosos na Alemanha. A Fundação Alemã de Proteção ao Paciente alertou recentemente que a reforma da estrutura hospitalar não era à prova demográfica e criticou a falta de conscientização dos idosos. Na capital, o objetivo é enfrentar os desafios das mudanças demográficas com um novo conceito. O Senado de Berlim quer oferecer melhores cuidados aos idosos e anunciou, há algumas semanas, trabalhar em rede melhor com os sistemas de suporte "80plus".

Desvantagens escritas para idosos
Em seu estudo, a Organização Internacional do Trabalho criticou que "a discriminação e atitudes negativas em relação aos idosos" eram generalizadas. Às vezes, as desvantagens são reguladas por escrito, por exemplo, ao determinar as condições para a celebração de contratos de seguro ou ao recusar certos benefícios. A OIT defendia que o atendimento aos idosos não deveria mais ser considerado muito caro, mas deveria ser investido em novos empregos. Em todo o mundo, seriam necessários 13,6 milhões de pessoal de enfermagem nessa área. A OIT também levantou a questão de que os cuidados são deixados principalmente para as mulheres e que isso deve mudar. O DAK Health deve ver isso da mesma forma. Apenas alguns dias atrás, a companhia de seguros de saúde informou em seu relatório atual de enfermagem, que chegou à conclusão, entre outras coisas, de que a enfermagem é principalmente um trabalho de mulher e um fardo psicologicamente pesado. (de Anúncios)

Informação do autor e fonte



Vídeo: Como envelhecer sem adoecer com Dr. Lair Ribeiro