Cientista: Anatomia do órgão genital feminino pode prevenir o clímax

Cientista: Anatomia do órgão genital feminino pode prevenir o clímax

Anatomia do órgão genital feminino pode impossibilitar o clímax
Agora, os cientistas conseguiram esclarecer uma questão que certamente interessará a muitos homens. Do que realmente depende se as mulheres experimentam um clímax ou não? Uma boa descoberta para todos os homens é provavelmente que o tamanho do membro masculino tem apenas uma influência muito pequena. A estrutura da vagina feminina é mais importante. Isso determina se e com que facilidade as mulheres podem experimentar um clímax.

Apesar de todos os esforços do seu parceiro, algumas mulheres têm problemas para experimentar um clímax sexual. Pesquisadores da Universidade de Indiana descobriram agora que a estrutura da vagina afeta se as mulheres podem experimentar o orgasmo. Os médicos publicaram os resultados de seu estudo na revista "Clinical Anatomie".

2,5 centímetros podem fazer uma grande diferença
A estrutura da vagina feminina determina se as mulheres podem experimentar um clímax no ato sexual ou não. Dependendo de onde o clitóris está, um orgasmo através da penetração pode ser impossível, explicam os especialistas. Portanto, nem o tamanho do membro nem a tecnologia utilizada são decisivos. Nas mulheres, os hormônios determinam a que distância o clitóris se aproxima do membro masculino durante a penetração. Devido à estrutura do órgão genital feminino, é possível que o clitóris se afaste muito da vagina. Então os limites físicos tornam impossível obter estimulação clitoriana suficiente de posições convencionais para experimentar um clímax, explicam os médicos. Cerca de 2,5 centímetros parecem ser o limiar a partir do qual se torna impossível experimentar um clímax através da penetração, acrescentam os autores.

Especialistas questionam destaques puramente vaginais
A descoberta tem uma correlação tão forte que, por exemplo, é possível prever que mulheres com uma distância de três centímetros não possam ter um clímax através da relação sexual, explicam os pesquisadores. Os médicos questionaram a existência dos chamados orgasmos vaginais porque a localização do clitóris parece ser um indicador realmente confiável. Cerca de 90% de todas as mulheres que afirmaram ter destaques puramente vaginais disseram que estavam no parceiro. Quando a mulher está “de pé”, o clitóris esfrega o abdômen ou a pélvis do parceiro e o orgasmo não é puramente vaginal, explicam os cientistas.

O clitóris é um órgão extremamente complexo que se estende profundamente na cavidade do corpo
Os cientistas descobriram apenas recentemente que o clitóris é muito mais do que um pequeno "botão" mágico do lado de fora. O clitóris é um órgão inteiro, cujas extensões se estendem profundamente na cavidade do corpo, dizem os médicos. Um aumento adicional também envolve o canal vaginal. Os últimos resultados da pesquisa permitem especular que os orgasmos internos não são desencadeados pelo mítico "ponto G". Eles são mais propensos a serem causados ​​pelos resultados de estimular componentes internos do clitóris, explicam os autores. Uma indicação disso pode ser que às vezes é possível iniciar um orgasmo sem mesmo estimular a proximidade do clitóris externo.

Os afetados devem desenvolver novas técnicas
A pesquisa sobre esse tópico foi importante e os resultados ajudam a reconhecer que nem homens nem mulheres são os culpados pela falta de orgasmos, explicam os pesquisadores. Em alguns casos, isso ocorre devido à mãe natureza e anatomia, dizem os especialistas. Assim, os casais não devem mais ponderar por que têm dificuldade em experimentar um clímax durante o sexo. Os afetados devem pensar em novas técnicas agradáveis ​​que possam estimular o clitóris, aconselham os médicos. (Como)

Informação do autor e fonte



Vídeo: SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO - REPRODUÇÃO HUMANA - Prof. Kennedy Ramos