Suspeita de fraude na cobrança: ação policial contra fisioterapeutas

Suspeita de fraude na cobrança: ação policial contra fisioterapeutas

Investigadores vasculham as salas de prática dos suspeitos
A polícia invadiu várias instalações de fisioterapia e um consultório médico como parte de um ataque em larga escala. O pano de fundo do uso é a suspeita de fraude contábil. Conforme relatado pelo promotor público de Dresden, os quatro suspeitos teriam lido os dados de pacientes com seguro legal e, sem o conhecimento deles, emitido remédios e prestado contas dos serviços que não foram executados.

Polícia vasculhou 14 objetos na Saxônia
O gabinete do promotor público em Dresden atacou vários fisioterapeutas e um médico na manhã de quarta-feira com uma grande força policial. Conforme relatado pelo promotor público de Dresden, um total de quatorze objetos foram revistados, incluindo as salas de tratamento dos terapeutas e um consultório médico em Dresden e Heidenau (distrito da Suíça Saxônica - Montanhas de Minério Oriental). Consequentemente, mais de 120 policiais estiveram envolvidos na operação, na qual um grande número de documentos e dados relevantes para a evidência foram protegidos.

Serviços não executados faturados?
Segundo as informações, o ataque foi realizado como parte de uma investigação do Ministério Público sobre fraude de cobrança contra seguradoras de saúde. Os quatro suspeitos entre 45 e 60 anos são suspeitos de terem lido os dados de pacientes com seguro legal desde pelo menos 2010. Sem o conhecimento do paciente, o médico deve então ter emitido prescrições de remédios e contas para serviços não realizados por meio de práticas de fisioterapia. A agência de aplicação da lei anunciou que o número exato de crimes e a quantidade exata de dano ainda não são conhecidos. A investigação seria agora realizada por fraude, de acordo com o §§ 263 StGB.

Pediatra falsifica resultados do estudo
O tribunal distrital de Fulda condenou recentemente um médico a 18 meses de liberdade condicional por fraude. O pediatra de 67 anos de Petersberg (Hesse) recebeu quase 73 mil euros de um fabricante de produtos farmacêuticos para realizar uma pesquisa científica sobre uma vacina contra a gripe. Mas o médico não cumpriu os acordos e sempre apresentou resultados falsos. (Não)

Informação do autor e fonte


Vídeo: POLICIAIS MILITARES SÃO PRESOS POR FRAUDE EM CONCURSO