Ex-namorada infectada pelo HIV: homem deve pagar 115.000 euros em compensação da dor

Ex-namorada infectada pelo HIV: homem deve pagar 115.000 euros em compensação da dor

Decisão judicial: 115.000 euros em dores e sofrimentos após a infecção pelo HIV
Em Munique, um homem foi condenado a pagar uma grande quantia em dor e sofrimento por infectar sua ex-namorada com HIV. Aparentemente, ele não sabia sobre sua infecção. O acusado havia mantido seu parceiro em segredo por não ter feito o teste de Aids.

Infecção desconhecida pelo HIV é uma grande ameaça para parceiros sexuais
Os especialistas em saúde anunciaram há alguns meses que há cada vez mais infecções por HIV devido a sexo descuidado na Alemanha. Isso é particularmente problemático se as doenças sexuais não são reconhecidas precocemente ou não são. Segundo estimativas do Instituto Robert Koch (RKI), cerca de 14.000 alemães foram infectados involuntariamente pelo HIV no final de 2013. Isso também representa um grande perigo para os parceiros sexuais: um homem estava agora em julgamento em Munique, que afirmou não saber nada sobre sua infecção pelo HIV. Desde que ele infectou sua ex-namorada com o vírus, ele agora tem que pagar uma alta compensação pela dor e pelo sofrimento.

Alta compensação de dor para ex-parceiro
Como relata a agência de notícias dpa, um homem tem que pagar 115.000 euros em dores e sofrimentos pela infecção de seu ex-parceiro com HIV. Segundo a informação, um porta-voz da justiça de Munique confirmou os relatos da mídia correspondentes. A câmara civil do tribunal distrital de Munique também concedeu à mulher infectada uma indenização por todos os danos resultantes. De acordo com o julgamento (Az: 23 O 14459/14), o casal se conheceu em 2012 e fez sexo desprotegido três vezes um com o outro, com a mulher sofrendo de alergia ao preservativo insistindo em um teste de AIDS anterior. Quando o acusado apresentou um relatório de teste de seu urologista, ele não revelou que não havia sido testado para o HIV.

O acusado fingiu ter um teste negativo
Segundo o relatório, o requerente sofreu subsequentemente diarréia e vômito, distúrbios do sono e perda de apetite: sintomas típicos que podem se desenvolver após uma infecção pelo HIV. A mulher estava infectada. No entanto, o homem negou sua responsabilidade no processo. Ele afirmou que na época não sabia nada sobre sua própria infecção e não havia mentido para a mulher. No entanto, o tribunal assumiu as informações fornecidas pelo requerente e o resultado de uma opinião de um especialista. Segundo o especialista, o réu infectou seu parceiro na época "com uma probabilidade quase certa". De acordo com os juízes, no entanto, não foi possível provar que ele agiu deliberadamente. O homem, no entanto, "violou culposamente" seus deveres de cuidado quando especificou a existência de um teste negativo e, portanto, a levou a sexo desprotegido. Como parte da nova campanha "Love Life", que substitui a antiga campanha de prevenção "Não dê uma chance à AIDS", pedimos expressamente o teste para o HIV (ad)

Informação do autor e fonte



Vídeo: Tratamento do HIV e resistência - Luiz Zanella